Yorkie do dia: Nina, minha filha, minha vida!

5 out

Por Fayla Fortes Franco de Araújo

Em dezembro de 2006 tomei conhecimento de que teria que me mudar. Meu marido na época  noivo, é militar e seria transferido do Rio para o Rio Grande do Sul.

Meu mundo caiu!

Sabia das possibilidades, mas nunca parei para pensar que um dia isso aconteceria comigo. Eu sabia o quanto eu iria sofrer e sofro até hoje pela distância.

A saudade é muito grande.

O máximo que eu já tinha ficado longe da minha família foram 2 semanas , em uma temporada de carnaval, mas por amor larguei tudo e segui o meu marido. Não me arrependo de nada que fiz, pois o amo muito. Foi por amor também que abri mão do meu poodle chamado Neném, pois ele é até hoje muito apegado a minha mãe, não tive coragem de separá-los. Minha mãe já estava sofrendo muito com a minha partida, não queria que ela sofresse mais. Foi aí que resolvi ter um novo filhotinho para me acompanhar nessa nova fase da minha vida.
   Resolvi comprar do meu vizinho um filhotinho de yorkie, ele me mostrou duas das fêmeas disponíveis, e optei pela filhotinha que estava com o rabinho inflamado , sabe Deus como ele cortou, sou totalmente contra, mas ele já havia feito . Fiquei com pena, pois ela poderia ser rejeitada devido a essa inflamação.
  Dias depois descobri  que Nina era uma viralatinha, tinha nascido de uma cruza de um york com uma chiuaua, meu vizinho muito envergonhado me propôs desfazer o ” negócio “. Eu olhei dentro dos olhos dele e disse:
– Agora que eu peguei amor a esse serzinho tão encantador nada nesse mundo vai me fazer separar dela, nem tão pouco te devolver, não me importo se ela é pura ou viralatinha, ela agora é a minha FILHA e isso basta. Ele agiu de muita má fé comigo, mas agora já era tarde de mais, pois já a amava incondicionalmente.

Mudei-me para o Sul, mas tive que deixá-la com minha mãe até arrumar um lugar para morar. Depois de dois meses voltei ao Rio para buscá-la.
Em meados de 2007 fui diagnosticada com um tipo de câncer, foi muito difícil, mas ela sempre esteve ali do meu lado me lambendo, me dando carinho. Tive que voltar para o Rio para me tratar e infelizmente não pude levá-la comigo, meu marido também precisava dela naquele momento. Graças ao meu bom Deus, um milagre se fez em minha vida. Depois de muitos exames e biopsias os médicos descobriram que o que eu tinha não era câncer e sim uma bactéria que eu adquiri  pelo estresse da mudança na minha vida. Após longos 3 meses eu pude voltar para casa e rever meu marido e minha filha amada.


Ela foi e é até hoje a minha companheira. O início dessa nova fase da minha vida foi muito difícil, e eu me agarrei muito a ela, foi nela que eu tirei forças para aguentar toda a dificuldade, a distância, a dor da saudade e a solidão!
Ano passado Nina nos deu um sustinho, apresentou um probleminha nos rins, meu mundo caiu de novo, não conseguia se quer pensar em perdê-la, depois de tudo que já vivemos não saberia viver sem ela. Mas graças a Deus não foi nada sério e hoje ela está aqui no meu colinho dormindo enquanto escrevo.

ELA É A MINHA VIDA!

Eu devo muito a esse serzinho tão amoroso que Deus colocou na minha vida e na vida do meu marido. Ela nos trouxe muitas alegrias e junto a ela formamos uma linda família.

Filha mamãe te ama muito!

Toda terça-feira publicaremos histórias sobre yorkies . Mande a sua história para pequenograndecao@hotmail.com com o subject “Yorkie do Dia” , não esqueça de enviar fotos também ! Ao final do ano teremos  um sorteio apenas para os participantes da coluna. E o prêmio tem algo a ver com…yorkies! Participem!

Anúncios

2 Respostas to “Yorkie do dia: Nina, minha filha, minha vida!”

  1. ainho 05/10/2010 às 11:01 pm #

    hahahahahaha que bunitinhaaaaa!!!

  2. Luciana 08/10/2010 às 7:45 pm #

    Linda sua história!!!Amei!!!bjs

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: