Arquivo | Saúde e Alimentação RSS feed for this section

Hora de cozinhar!

13 jan

Legumes na panela…

Macarrãozinho tricolor ….

Continue lendo

Castração em fêmeas: sim ou não?

12 fev

Nas fêmeas, a castração é uma cirurgia feita com anestesia geral e consiste na retirada do útero, trompas e ovários. Apesar de ser considerada pelos veterinários um procedimento simples -em torno de uma semana o animal está recuperado –  não deixa de ser uma cirurgia, e não pode ser banalizada. As informações abaixo foram extraídas de diversos artigos sobre o tema. Nem todos os veterinários são unânimes a respeito de algumas informações, portanto, leia, estude, se informe a respeito, e sempre consulte seu veterinário de confiança antes de tomar uma decisão.

Castrar a fêmea é interessante porque….

Reduz o risco da cadela ter tumor de mama, que é o segundo tipo de tumor mais frequente em cadelas. Se castrada antes do primeiro cio, o risco de surgirem tumores mamários é de 0,5%. Fonte Após o segundo cio, as chances de a cadela castrada desenvolver câncer são as mesmas de uma cadela não castrada. A castração também elimina as chances de câncer no útero e ovários, pois estes são removidos na cirurgia.

Evita episódios de gravidez psicológica e suas conseqüências, como aumento das mamas, infecção, produção de leite e irritabilidade.

É mais econômico. Se por um lado existe o custo da operação, remédios e etc; por outro, em caso de a cadela ter cria, os custos serão ainda maiores com alimentação,vacinas e eventuais complicações do parto.Cirurgias e medicamentos para doenças que ocorrem em animais não castrados, como piometra, também podem custar caro.

Continue lendo

Pseudo… hã?? Gravidez psicológica em cadelas

1 fev

Meu bebê!

Melzinha está com pseudociese, também conhecida como gestação imaginária.

Ela tem quase 3 anos , e não foi castrada porque no primeiro ano ela teve muitas complicações de saúde, e nos seguintes eu fiquei com medo. Só que agora os problemas estão aparecendo,( pseudociese é consequência disso) e nesse artigo do D Carmello Liberatio Thadei, ele diz que “as cadelas portadoras desse fenômeno (gravidez psicológica) apresentam recidivas e estão predispostas à hiperplasia do endométrio e piometra, que são doenças graves consideradas como evolução da própria pseudociese.” Ou seja, um péssimo sinal 😦

Mas o que é pseudociese?

As alterações hormonais que ocorrem logo após o cio podem fazer com que cadelas e gatas tenham comportamento e sinais clínicos de prenhez, mesmo sem terem acasalado. Geralmente ocorre cerca de 30 dias após o cio e dura um mês. A estimativa é que ocorra de 50 a 70% nas cadelas, ou seja, é relativamente comum.

Como que eu sei se minha cadela está com gravidez psicológica?

Continue lendo

Ai meu joelho! Luxação de patela em yorkies

26 jan
 
 

Luxação de Patela é uma das doenças ortopédicas mais comuns em cães de raças pequenas. A patela é o osso mais conhecido como rótula, que  devido a uma fenda na cabeça do fêmur, desliza para cima e para baixo conforme a articulação se flexiona. Em alguns cães, essa fenda não é muito profunda, a patela não é proeminente o suficiente, e acaba saindo fora do seu devido local. Isso faz com que a perna fique “travada” , ou seja, o cão não a apoia no chão, e anda “pulando”. Um cão que apresente este problema pode chorar de dor durante uma caminhada, manterá a perna estendida para a frente e será incapaz de felxioná-la à posição normal. Se não corrigido, o cão irá ficar cada vez mais manco,o joelho pode ser afetado pela artrite, causar mais dor e prejudicar a movimentação do cão. Normalmente o tratamento indicado é cirurgia somado à outras terapias.

Continue lendo

Giárdia, giardíase… hein?

8 dez

 

mamai peferiu por minha foto aiqui do que deiça tal de giaidia feia!!

Recentemente contei a história da Mel, seu cocô e a giárdia.  Foi conversando com a Sylvia, que eu descobri que apresentar giárdia nas fezes é comum. Já o quadro clínico caracterizado por diarréia, a giardíase, esta sim precisa ser tratada com antibiótico. Como a Mel estava com diarréia, ela passou pelo tratamento e hoje está bem. Mas é sempre bom pesquisar e conversar com veterinários, assim mesmo, no plural , pois tem tanto veterinário que medica primeiro e pergunta depois … remédios em excesso também podem fazer mal !

Para os que me perguntaram sobre a vacina, fica aqui o recadinho da Sylvia: “Cães costumam se infectar com a giárdia ao beberem água não filtrada e também ao terem contato com fezes de outros cães (em parques, nas ruas, etc). O cloro da água não é suficiente para dar cabo da giárdia, infelizmente. A vacina é classificada como “não-recomendada” por órgãos renomados, como o World Small Animal Veterinary Association e o American Animal Hospital Association. Ainda não existe comprovação científica de que essa vacina funcione. Então, com base em tudo o que tenho lido, e também no que estudei sobre a doença, acho desnecessário submeter o animal a essa vacinação. É mais barato tratar e a doença tem bom prognóstico. Mas, também com base em artigos recentes que tenho lido, só trataria em caso de giardíase, e não em caso de apenas constatar a presença da giárdia no organismo.”

Como saber se seu yorkie está no peso ideal

26 nov

 

 Yorkies são pequeninos e raramente ultrapassam os 3 kg quando adultos. Devido a suas pequenas dimensões, boa parte se torna “cães de colo” , ganhando muitos petiscos e agrados de seus donos, porém sem se exercitar o suficiente. Como resultado, eles podem ficar com excesso de peso.

Yorkies com sobrepeso podem desenvolver sérios problemas de coração e  articulações. Se estiverem abaixo do peso podem  ter um colapso devido às necessidades de sua existência canina diária. É importante para a saúde de seu cão que você o auxilie a manter o peso ideal durante toda sua vida.

Veja se seu cão está com o peso ideal:

1- Coloque o cão sobre uma mesa, yorkies  são tão pequenos que é mais fácil examiná-los assim.

Continue lendo

Já viu o cocô do seu cão hoje?

18 nov

Eu sei que pode parecer meio esquisito, mas é importantíssimo observar as fezes do seu animal !

Comecei a reparar nisso quando levava a Mel no veterinário e ele perguntava: “e as fezes, como estão?” E eu não sabia dar detalhes, rs, em casa tem jardim grande, ela fazia as necessidades longe,  e eu não ficava procurando , já que tem alguém que recolhe  e limpa o jardim.

Quando troquei a dieta dela por uma dieta terapêutica caseira, comecei a reparar no cocô. Se estivesse firminho e bonitinho , sinal de que as coisas estão bem, tanto na saúde como  na alimentação. E assim estava, até uns dias atrás. Foi quando reparei que o cocô estava amarelo mutante, quase fosforecente, parecia um alien !

Avisei o veterinário, que  pediu um exame de fezes. Descobrimos que ela está com giárdia – uma doença causada por um protozoário que infecta o intestino dos cães e pode passar pro homem ( e vice versa). Se não tratada, o animal pode ficar mais suscetível a outras enfermidades e até morrer.

Yorkies especificamente,  são cães delicados-  o tempo que levamos para perceber uma enfermidade e  iniciar o tratamento pode ser decisivo em sua recuperação.  Eles precisam da nossa atenção constante – e acredite, todos os cães, por instinto, irão esconder o máximo possível de nós quando não se sentirem bem. É da natureza deles esconder as fraquezas, e uma enfermidade, ou  mal estar é visto como um sinal de fraqueza.

Assim,  é nossa obrigação prestar atenção nos detalhes , porque são eles que irão nos dizer que algo está errado. O cocô do seu animal é um detalhe – meio fedido, eu sei- mas muito importante. Não o perca de vista !

Coceira, engasgo, espirro…é alergia?

16 out

Dia desses corri com a Mel para o veterinário, porque ela estava “engasgando” muito, com dificuldade para respirar. Chegando lá descobri que era alérgico , e pensando no que havia acontecido em casa, lembramos que havíamos passado um produto diferente no chão, desses para tirar odor de xixi de cachorro.  Fui pesquisar um pouco sobre as alergias mais comuns em cães, e achei um pequeno texto que adaptei, traduzi e apresento aqui :

As alergias caninas podem ser dividias em três grupos principais:

Alergias Caninas Inalatórias

São as alergias mais comuns em cães, já que o número de alérgenos circulando no ar é muitíssimo elevado. A poluição industrial pode ser um grande problema para cães de cidades grandes, mas os que vivem no campo também sentem a exposição a arvores, grama, pólen, mofo e químicos utilizados  no jardim para manter o controle de pragas e insetos. Cães que vivem em apartamento  convivem com produtos de limpeza, fumaça de cigarro, e até perfumes para disfarçar o cheiro do cigarro, e eles também respiram fibras dos carpetes sintéticos . A natureza criou o sistema imunológico do cão para neutralizar a parte ruim do ar que ele respira, mas pode ser que o seu animal tenha um sistema imunológico muito entusiasmado que irá trabalhar demais quando não conseguir neutralizar uma substância . Ele começa então a produzir histaminas que levam a inflamação, espirros, dificuldades respiratórias, olhos lacrimejantes e coceira.

Quando seu cão respira algo que pode  desencadear uma resposta alérgica, você verá sintomas como coçar e morder, lamber a pata, e esfregar a face para aliviar a coceira nos olhos. Algumas dessas alergias  inalatórias são sazonais, cães  podem lidar com alergia ao pólen na primavera e no verão, por exemplo. No entanto, alergias causadas por substancias dentro de casa irão continuar por todo o ano até que os produtos que a causam sejam identificados e totalmente removidos do ambiente. 

Alergia canina à pulgas

É a causa mais comum para  alergias na pele ou dermatites em cães alérgicos à saliva de pulga. Dermatite alérgica sausada por pulgas resulta  em coceiras tão severas que o animal se morde e coça até caírem os pelos.  Se não tratrada, o cão ficará com a pele sangrando. Se o seu cão exibe esse tipo de alergia, é essencial que se mate não só todas as pulgas que estão no cão, mas as pulgas, larvas e ovos que com certeza estarão presentes em outras partes de sua casa. Leve seu cão ao veterinário para que receba tratamento apropriado.

Alergia canina à comida

Se o seu cão apresenta sinais de alergia, e você tem certeza de que não é por causa do ambiente, pulgas ou outros problemas de saúde,pode ser que ele sofra de alergia à alguma comida.Se o cão tem comido um alimento específico , ou um petisco favorito por meses ou até anos, ele pode desenvolver intolerância a algum ingrediente deste alimento.  Seu cão pode ficar meses ou anos comendo o mesmo alimento sem problemas, mas com o tempo o animal pode acumular anticorpos suficiente para desencadear uma reação alergica. Se o animal  tem uma resposta ruim sobre algum alimento que ele comeu pela primeira vez, trata-se de intolerância causada por alguma toxina no alimento , mas não é uma reação alérgica.

Adaptado do texto original em inglês.

Será que a dieta do seu cão é a “dieta das sobras” ?

9 out

Mel: para ganhar petisco, tem que trabalhar!

Semana passada falamos sobre as opções de dieta  mais utilizadas para os cães. Faltou falar sobre uma “dieta” bastante utilizada nos lares mundo afora: as sobras da mesa.

As sobras podem ser literalmente o que sobrou do almoço/jantar e é dado ao cão como refeição, ou podem ser alimentos  retirados da refeição dos humanos e oferecidos ao cão como agrado ou petisco.  Se essa é a fonte principal de alimento do seu cão, você pode estar oferecendo a ele uma das piores dietas possível em termos de balanceamento de nutrientes.

Muitos alimentos que comemos podem ser potencialmente perigosos e tóxicos aos animais. Mesmo em casos onde a comida não é perigosa, alguns problemas podem surgir deste hábito de comer “comida da mesa”. O animal pode ficar cada vez mais seletivo para se alimentar e passa a apresentar aversão a sua comida regular , que é a que possui os nutrientes que ele necessita.  O resultado pode ser um animal mal nutrido e temperamental para comer. Yorkies têm o estômago sensível e podem ter diarréia e vômitos.

 Não tem problema dar petiscos aos cães, desde que você verifique com seu veterinário quais alimentos você pode oferecer, qual a quantidade , e lembre-se nunca dê petiscos por nada ;sempre  recompense um bom comportamento através deles. Assim você não põe em risco a alimentação do seu cão, e o encoraja a se comportar cada vez mais da forma que você quer.

E você, resiste a carinha de gatinho-do-shrek quando seu yorkie pede comida à mesa?

Conheça as opções de dieta para seu yorkie

2 out

Podemos agrupar as opções de dieta para nossos cães em três grupos principais:

1- RAÇÃO COMERCIAL: São os alimentos embalados vendidos em supermercados, pet shops e clínicas veterinárias. Existe  nas versões seca, semi úmida e úmida ( em lata). Todas as grandes corporações que conhecemos se enquadram neste grupo, como a Pedigree, Iams e Science Diet.

2- COMIDA CRUA ( RAW DOG FOOD) Conhecida também como Alimentação Natural, é um grupo que cresce em popularidade.É baseada em legumes, vegetais e carnes cruas. Pode ser conhecida como dieta BARF (Biologically Appropriated Raw Food – algo como “Comida Crua Biologicamente Apropriada”) , sendo que cada dieta ( Raw Meat Bones, BARF, etc ) tem suas particularidades.

3- COMIDA CASEIRA – Alimentos ( grãos, carnes, vegetais) cozidos em casa, preparados especialmente para o seu cão. Não confundir com “sobras do almoço de humanos” .

Vamos conhecer melhor um pouquinho de cada uma delas:

Continue lendo