Seu yorkie puxa a guia?

15 set

Sim, essa poderia ser eu

A minha puxa ! Ela é um trovão que caminha só em 2 patas ( as traseiras) de tanto que puxa. E já vi vários yorkies fazerem o mesmo pela rua !

Hoje recebi um e-mail com algumas dicas legais para ensinar o cão a andar na guia sem puxar. Tinha algumas novidades para mim, que compartilho com vocês ( junto com minhas angústias  hahah). O texto em marrom  são as dicas do e-mail:

Use uma coleira de couro ou nylon, nada de enforcadores ou coleiras com pinos. Peitoral é péssimo, pois só ensina o cão a puxar. Xiii eu uso peitoral ! Confesso: a Mel é tão pequena que eu tenho medo de machucá-la com outro tipo. Eu preferi ter ela puxando do que lesionando a coluna, pescoço ou ficando sem ar. :/

Antes de sair para passear com seu cachorro, brinque com ele no quintal ou dentro de casa mesmo. Achei legal essa dica, vou experimentar. Depois conto.

–  Um erro que cometemos com muita freqüência é deixar o cachorro super excitado na hora que ele vê a coleira. Muita gente começa a dizer “Vamos passear, Chico. Vamos, vamos, vamos passear” excitando o cachorro e ele fica super excitado pulando para todo lado e só vai ficar mais difícil de contê-lo quando você estiver na rua. Ahhh quem é que nunca fez isso hein?? hahah É tão bonitinho ver a felicidade deles né? Bom, eu evito fazer essa festa , mas confesso que às vezes escapa. Vou me policiar ainda mais.

Ofereça uma água a ele antes de sair e, se possível, também durante o passeio. Ok.

–  Procure um lugar sem muitas distrações para este exercício. Se a sua rua for muito movimentada, com pessoas e outros cachorros passando vai ser mais difícil para ele se concentrar. A Mel já passeia em um lugar tranquilo, e mesmo assim puxa a guia como se não houvesse amanhã.

– Escolha um lado e saia passeando, digamos para a direita. Assim que ele começar a puxar, você dá meia volta e muda de direção, indo para a esquerda. Agora ele está atrás de você, ajuste seu passo para que vocês dois caminhem lado a lado. Provavelmente ele vai começar a puxar de novo. Você vira-se de novo e volta a andar para a direita. E assim por diante. Eu já tentei fazer isso várias vezes. Mas ela venceu. Mesmo mudando de posição ela continua puxando. Ou então deita e se recusa a andar. Vou filmar isso e colocar aqui, vocês verão que não estou mentindo.

–  Enquanto ele estiver andando ao seu lado sem puxar a coleira (com a coleira frouxa), elogie-o e dê-lhe algum petisco. Continue caminhando e elogiando enquanto ele não puxar. Puxa, nunca consegui chegar nessa etapa! hahaha Outro detalhe: ela não dá a menor bola para petiscos, brinquedos ou o papa quando estamos na rua. Passeando, o radar de caça dela chega a milhão e a única coisa que interessa são objetos em movimento. Pode ser um carro,uma folha caindo, tudo é mais interessante do que um petisco, um brinquedo ou eu mesma.

– Você está mostrando ao seu cão que puxar não vai levá-lo aonde ele quer. Toda vez que ele puxa querendo ir para a direita, você vira para a esquerda e vice-versa. Com o tempo ele vai aprender que caminhar ao seu lado sem puxar é o que vai fazer todos felizes. Será que eu não tentei o suficiente? Alguém tentou? Conseguiu?

  Texto em marrom e foto daqui

Obs- A Camilli publicou um post parecido com esse, mas eu juro que a escolha da foto e do tema foi mera coincidencia! haha

6 Respostas to “Seu yorkie puxa a guia?”

  1. Tula Verusca 15/09/2010 às 6:07 pm #

    Eu acho que a primeira coisa de todas é:
    GUIA SEMPRE CURTA.
    Se vc mantiver a guia curta ela começa a puxar menos…

    bjus

    • Bianca 15/09/2010 às 7:01 pm #

      Tula, se eu deixar a guia bem curta ela anda em duas patas de tanto que puxa. E o pior é que quando ela puxa ela fica sem ar, faz uns barulhos horríveis parece asmática! Hoje eu ando com guia mais longa , e ela puxa menos, pois tem mais liberdade de cheirar. Eu sei que não é a solução, mas pelo menos ela respira!!

  2. Camilli Chamone 16/09/2010 às 6:50 pm #

    Ei Bianca!

    Isso de posts com o mesmo tema parece o “ó do borógodó”, mas não é! Todo mundo tem uma visão diferente do mesmo assunto, sempre tem informações importantes a acrescentar e, como sabemos, saber não ocupa lugar. 😉

    Eu AMEI o seu post, é bem diferente do meu, né?

    Cheguei à conclusão que tantos livros sobre comportamento canino existem por uma só razão: são necessárias técnicas diferentes porque existem indivíduos/cães emocionalmente diferentes que precisam ser abordados de maneiras diferentes. Além disso, para quem vai adestrar/educar é importante se identificar com a técnica para poder realizá-la com esmero!

    Acredito que técnica boa é a técnica que funciona com a gente, não é mesmo? Mas, compartilhar o que aprendemos é fundamental.

    Se eu tivesse um york, NUNCA usaria um colar nele. É inevitável tracionar a traqueia nos passeios – por mais que tentemos não fazer, sempre escapa. Como sabemos, yorks tem predisposição a colapso de traqueia e o colar pode acabar forçando demais uma região delicada.

    Eu arrumo uma miscelância de técnicas danada!
    Mas, realmente, manter o cão calmo, antes que ele faça qualquer coisa foi TUDO pra mim. Não me refiro só a passeio , mas antes de entrar no crate, antes de sair do crate, para entrar no carro, para sair do carro, para ir na casa dos meus amigos e dos meus parentes, etc. Os cães “entraram no espírito calmo e assertivo” e isso extendeu-se para o passeio na rua.

    Mas, sabe outra coisa? Tem que passear todo dia! Se o pobrezinho tem a chance de ver o mundo só uma vez por semana, tem razão de ficar euforico mesmo. 🙂

    Vai publicando mais coisas que vão funcionando e mesmo as que não vão funcionando com você! É trocando experiências que a gente tem a oportunidade de aprender e ser melhor.

    Aprendi um monte de coisas novas lendo seu texto hoje.

    Mil beijos!

    • Bianca 16/09/2010 às 7:06 pm #

      Oi Camilli !!!
      Não tinha pensado nisso: técnicas diferentes para cães diferentes.
      Realmente, eu até acho que a Mel inclusive sofre de colapso de traquéia. Nunca nenhum vet me explicou isso direito, mas ela tem os sintomas, faz aquela tosse, o barulho esquisito… Fora que se eu der um puxãozinho de nada para corrigir algum comportamento, já pode lesionar a garganta,que é praticamente um pescocinho de frango rsrs sei lá, para não correr esse risco, eu preferi deixar ela puxar a guia rs
      Melzinha passeia todo dia , apesar de passear bem pouco – 1 volta na quadra, é o que ela aguenta. Mas ela ama.
      Mas eu queria que ela se comportasse melhor, por isso vou tentar aquilo que o meu bom senso me permitir… depois conto aqui como estamos indo.
      Beijos !

  3. Maria Clara 10/01/2012 às 7:01 pm #

    ainda não tenho um yorkie mas talvez eu consiga… Parabéns por esse blog, amei!!

  4. Gabriel Bergoc 20/05/2012 às 3:02 pm #

    Olá, testei essas dicas hoje com o Zig (o yorkie da casa).
    Pra sair de casa já foi um sufoco, ele ia avançando pra fora e eu puxava de volta, várias vezes, até ele ficar triste kkkkkk
    Na garagem (moro em apartamento, pra sair com cães, só pela garagem) já tive que ficar mudando de lado várias vezes, até que desisti e peguei ele no colo pra sair da garagem, se não o passeio iria só até ali kkkkkkkkk
    Na rua, todas as vezes que ele andava mais rápido que eu, eu ia para o outro lado ou puxava ele de volta e ficava parado até ele ficar parado, sem puxar a guia. Aí depois de um tempo também desisti um pouco e comecei a andar no meu ritmo e segurar ele perto de mim, pra forçar ele a acompanhar o meu ritmo.
    Quando ele acertava eu tentava elogiar e fazer carinho (não tenho nenhum petisco pra dar pra ele). Parece que ele tá começando a aprender. Na volta, ele me esperou entrar de novo em casa pra entrar =)

    Obrigado pelas dicas, vou usá-las e ensinar os donos do cachorro (que mimam muuuito ele kkkkk)

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: